03 maio 2010

Campos do Jordão à Paraty de bike...de férias no Brasil!

Olá bikers,

Nós fizemos uma viagem maravilhosa no nosso Brasil e gostaria de recomendar este percurso para vocês.

Chegamos em Campos do Jordão no dia 19 de Abril e aproveitamos para conhecer a cidade e jantar no famoso centrinho de Campos. A pousada que ficamos foi a Villa Agi, que fica já saindo em direção à estrada para o Horto Florestal, onde a estrada de terra começa.




No dia seguinte fomos visitar a loja de nosso amigo Erivan, a “Desafius” , e logo em seguida pegamos estrada. (*Quando passarem na portaria do Horto Florestal, parem para conversar com eles e pedir informações, normalmente para entrar no Horto precisa pagar taxa, mas explique que está indo para Delfim Moreira que eles além de deixar passar sem cobrar, indicam a ponte com o caminho correto).

Começamos no asfalto e em seguida enfrentamos uma subida longa de terra em direção à Fazenda do Charco. Lá encontramos com a Cleusa que nos convidou para um delicioso almoço.

Depois pegamos uma estrada mais precária passando pela Fazenda do Onça, dentro de uma área militar. Esta estrada conecta com a estrada de terra principal que vai de Venceslau Brás à Delfim Moreira. Finalmente decidimos parar na cachoeira da Fazenda Boa Esperança e comer uma deliciosa Truta.

1º dia: Campos do Jorão - Delfim Moreira (49.2km)

No dia seguinte o destino foi Passa Quatro, este foi um dia duro, com muitas subidas longas e um visual maravilhoso das montanhas, paramos na pequenina Marmelópolis para um Açaí, que nos deu muita energia para romper as últimas subidas e aproveitar a deliciosa descida até Passa Quatro com minha bike Scott Spark RC Contessa (*eu estou me divertindo muito com esta bike, recomendo fortemente pelo conforto e agilidade!).




2º dia: Delfim Moreira - Passa Quatro (58.7km)

Em Passa Quatro ficamos na Pousada Maria Manhã, que recomendo fortemente pela agradável piscina e excelentes quartos. Conhecemos alguns bikers da região, como o Cau, da Pousda Vila Minas em Itanhandu. Ele nos indicou um excelente rodízio de Pizza na cidade, a Pizzaria Seis e Meia.

Nós partimos de Passa Quatro pela linha do trem e passamos pelo imperdível túnel desativado (*não esqueça de levar sua lâmpada frontal). Logo em seguida a estrada ficou muito fechada, mas passamos assim mesmo. Depois ficamos sabendo que tinha um desfio para evitar o “matagal”, mas já era tarde. Foram somente 1km de estrada fechada e depois entramos uma trilha técnica muito legal que valeu a pena a “roubada” anterior. Paramos no restaurante Essência do Vale para almoçar e em seguida fomos em direção a Silveiras.



3º dia: Passa Quatro - Silveiras (77.9km)

Em Silveiras dormimos na Pousada Estrada Real e fomos recebido para jantar pelo Prof. Ocílio no tradicional restaurante do Ocílio, nos divertimos com suas histórias como a do famoso “Coral de mulas sem-cabeças”. :-)

4º dia: Silveiras - Campos de Cunha (41.2km)

Antes de chegar à Campos de Cunha, passamos pela pequenina vila de Macacos, onde tinhamos a opção de ir em direção a Serra da Bocaina (*se estiver com mais tempo para a viagem, recomendo explorar a região e pedalar subido em direção à Bocaina, a região é linda).

No caminho paramos na cachoeira Paraitinga para um “tibum” antes de chegar em Campos de Cunha. Lá ficamos na pousada Cabocla e fomos muito bem recebidos pela Sra. Marina e seu filho Gilson. À noite fomos de carro para Cunha, pois ficamos sabendo que estava tendo o Festival anual do Pinhão.

5º dia: Campos de Cunha - Paraty (74.6km)

Nós saimos mais cedo este dia e o pedal foi considerado por todos como o mais técnico e desafiador. Ao invés de seguirmos a estrada principal, viramos para seguir estradas pequenas que passavam por vilarejos (*sem passar por Cunha).


Este dia tivemos direito a trilhas técnicas, abacate madurinho no pé, comida caseira de verdade e uma maravilhosa descida com o visual do mar. (*Imagina a emoção dos tropeiros quando avistavam o litoral depois de enfrentar tanta aventura?)

Em Paraty ficamos na pousada do Corsário e comemos uma boa moqueca de camarão.

No dia seguinte depois de um tour de bike na cidade fomos em direção a Trinidade (22.3km) para aproveitar dois dias de praia e então voltarmos para casa com muita milhagem nas pernas e histórias para contar.

Se gostaram deste desafio e precisarem de mais informações ficarei feliz em ajudar.

MTB Saudações,

Jaque

http://www.jaquemtb.com/

*agradecimento especial a Adri Nascimento por ter nos passado as planilhas de vários trechos para então mapeá-los no GPS! Valeu Adri!