14 agosto 2013

Teste de munição na LAPUA


Sim sim sim...o Biathlon é um esporte extremamente complexo e este post é mais uma prova disso.

Continuando as postagens sobre a viagem à Europa, depois de pegarmos nossos esquis na Áustria fomos em direção à Alemanha para testar diferentes lotes de munição na fábrica LAPUA.

Cada cano de carabina tem um comportamento diferente e uma munição que pode funcionar melhor nesta arma dependendo da harmônica do equipamento. Sim, igual na música, e ainda tem o fator frio, quando esfria, o grupamento de munição muda e fica mais aberto, por isso é importantíssimo atirar no inverno [...]

Sim sim sim...o Biathlon é um esporte extremamente complexo e este post é mais uma prova disso.

Continuando as postagens sobre a viagem à Europa, depois de pegarmos nossos esquis na Áustria fomos em direção à Alemanha para testar diferentes lotes de munição na fábrica LAPUA.

Cada cano de carabina tem um comportamento diferente e uma munição que pode funcionar melhor nesta arma dependendo da harmônica do equipamento. Sim, igual na música, e ainda tem o fator frio, quando esfria, o grupamento de munição muda e fica mais aberto, por isso é importantíssimo atirar no inverno com munição de qualidade.
Começamos o teste selecionando e marcando 15 lotes da mesma munição e instalando a carabina no cavalete dentro da câmera fria à menos dois graus!

Visitando a câmera antes dela ficar muito friiiiia...

Seleção de diferentes lotes de munição da  mesma marca Polar (Lapua)

Em seguida, ficamos na sala de espera acompanhando os testes apreensiva para ver se conseguiríamos encontrar um lote que pudéssemos fazer um bom grupamento de munição. 

Análise em tempo real dos agrupamentos de munição

E sim, conseguimos encontrar um lote de munição com um grupamento bem pequeno. Meu alívio foi bem grande, agora temos munição perfeita para minha carabina.

Detalhe da carabina congelada após o teste.

Nenhum comentário:

Postar um comentário