08 dezembro 2014

A vida em 7 minutos!



Oi gente, como falei anteriormente, até os 6 meses a gestação foi tranquila e felizmente ativa (relato aqui). Eu consegui curtir uma ótima temporada na bike e com a companhia de amigos que fizeram os treinos divertidos e seguros, pois não queria pedalar sozinha grávida. Agradecimento especial a amiga canadense Renée que foi uma verdadeira companheira de pedal, faça chuva ou sol :-) 



Com relação a bike, mesmo aqui no Canadá as opiniões são bem distintas: ou acham muito perigoso ou muito legal continuar a pedalar grávida. Houveram comentários como "madame, tome cuidado" ou "você não acha que seja perigoso isso?", mas assim como foi na minha primeira gravidez segui minha intuição e com o sinal verde da minha médica ginecologista continuei ativa até o final.
Na segunda gravidez, a barriga cresce mais rápido e você aparece grávida mais rápido...o que me deixou um pouco triste foram os comentários de algumas pessoas sobre o meu ganho de peso ... como se a barriga fosse devido ao excesso de cerveja ou doces...Comentários maliciosos que ao meu ver são de extremo mal gosto (se você estiver grávida, ignore estes comentários o quanto antes e mande a pessoa ir cuidar da vida dela :-).

Agora a parte importante, o dia do parto...eu gostaria de compartilhar isso com vocês, pois eu não sabia sobre estas falsas contrações e finalmente vivi uma experiência digamos radical e um pouco assustadora :-)

A data prevista para o bebê nascer era dia 22 de novembro. No dia 19 de novembro, já comecei a sentir contrações e como sou daquelas que morre de medo das histórias que o amigo do amigo viveu com correria para chegar ao hospital, eu já estava com minha mala de hospital pronta desde que completei 8 meses de gestação e completava o tanque do carro sempre, considerando que moramos por volta de 45 minutos do hospital.

Bom, sendo assim no dia 19 de novembro, quando as contrações começaram a chegar a cada 5 minutos, fomos em direção ao hospital. Chegando lá, já estava a 3 minutos e tudo conforme o figurino, chegamos como recomendam os livros...mas infelizmente estava com somente 3 cm de dilatação...mandaram caminhar mais um pouco e voltar em duas horas...voltamos ao hospital e nada da dilatação aumentar, então voltamos pra casa...A sensação foi de frustração, como um pneu furado numa prova de bike ou largar com um esqui com a cera errada... já estávamos na semana prevista e a ansiedade para que a pequena chegasse já estava grande.

Uma semana mais tarde, quatro dias depois da data prevista, comecei a sentir as mesmas contrações...mas não estavam constantes...6min, 4min20seg, 3min10seg, etc...conclusão: deve ser de novo as tais falsas contrações. Decidi então ir caminhar com bastões 1h30min montanha acima. As contrações continuaram, nada intenso, mas continuaram e ainda inconstantes...retornei do treino com bastante endorfina no corpo ;-) e pedi ao Guido, meu marido, para pegar meu filho Ian na escolinha, para então ir fazer outro check up no hospital, só para ter certeza...

Mas aí começou a ficar difícil, contrações inconsistentes mais dolorosas, eu não via a hora dele chegar logo para irmos ao hospital. Quando ele chegou, minha bolsa se rompeu...não acreditei: Como assim? ...as contrações não estavam constantes!!! Ok agora é de verdade...pulei no carro e começou o filme de ação que eu não queria viver de jeito nenhum... Guido dirigindo em alta velocidade, buzinando para todos saírem do caminho, passando em sinais vermelhos e sinalizando para os policiais de plantão que era uma emergência.

Fizemos um tempo recorde casa-hospital, chegamos na portaria de urgência do hospital às 17:28, ele largou o carro na porta do hospital, sentei em uma cadeira de rodas e subimos sprintando ao 4o andar. A equipe médica foi pega de surpresa e uma correria no setor se instalou. Jade nasceu as 17:35, três contrações e um parto natural digno de Guiness book.


Depois de tudo, uma sensação de alívio, felicidade, plenitude se instalou e curtimos uma hora de "pele com pele" com a bebê em plena forma. Agradecida demais à Deus por ter nos protegido e chegarmos sãos e salvos ao hospital, tudo deu certo e felizmente consegui viver um parto sem muito sofrimento (acredito que a endorfina da caminhada montanha acima ajudou) e natural. Mas vale a pena compartilhar para quem sabe alguma grávida de plantão possa evitar este stress das tais falsas contrações :-).



Jaque

7 comentários: